Sejam bem vindos!!!

Sou Danilla, professora do Colégio Paulo VI, na cidade de Vitória da Conquista-Bahia e sou professora da Educação Infantil.

Beijos!!!!



terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Projeto Encontro com o Folclore



Justificativa:

O tema escolhido, Folclore, permite um trabalho interdisciplinar, envolvendo conhecimentos de Português, Matemática, Ciências, História e Geografia introduzindo os temas transversais Saúde, Cidadania, Educação Física e Artística. Folclore é uma palavra de origem inglesa cujo significado é conhecimento popular. O folclore é passado de pais para filhos, geração após geração. As canções de ninar, as cantigas de roda, as brincadeiras e jogos e também os mitos e lendas que aprendemos quando criança é parte do folclore que nos ensinam em casa ou na escola. O folclore é o meio que o povo tem para compreender o mundo. Utilizando a sua imaginação, o povo procura resolver os mistérios da natureza e entender as dificuldades da vida e seus próprios temores. Conhecendo o folclore de um país podemos compreender o seu povo. E assim passamos a fazer, parte de sua Historia.

Objetivos:

  • Levar o aluno a relembrar alguma manifestação de cultura popular;
  • Reconhecer e divulgar a importância do folclore;
  • Estimular e desenvolver a imaginação e criação;
  • Desenvolver o habito de pesquisa;
  • Incentivar o gosto pela leitura, arte, musica e dança;
  • Valorizar a cultura popular;

Desenvolvimento:

  • Leitura de diferentes textos: informativos, literários, recreativos;
  • Caça palavras;
  • Poesia;
  • Pesquisas;
  • Atividades matemáticas;
  • Atividades com Receitas;
  • Montagem de murais;
  • Confecção de cartazes;
  • Atividades ortográficas e gramaticais;
  • Produção de texto;
  • Dramatização;
  • Músicas
  • Brincadeiras;
  • Entrevistas;
  • Artesanato;
  • Hora do conto;

Culminância:

1.    Concurso de pipas – bonecas de pano;
2.    Desfile de trajes regionais;
3.    Exposição de artesanato, comidas típicas e receitas;
4.    Exposição e tarde de autógrafos dos livros feitos pelos alunos;




Pertencem ao Folclore:

·         Mitos; Adivinhas; Religiosidades; Quadrilhas e Poesias; Trava-línguas;Parlendas;Fórmulas de Escolhas e Brincadeiras Infantis; Ditados Populares; Superstições e Simpatias; Frases de Pára-choque de Caminhão; Artesanato; Medicina Popular; Lendas; Festas; Culinária.


Materiais para Trabalhar em sala de aula:

Mitos e Lendas:
·         Mula-sem-cabeça: É um animal quadrúpede com aparência de mula. Não tem cabeça e solta fogo pelo pescoço. Soluça como se fosse gente e seu galope assusta as pessoas que saem para caminhar nas noites de lua cheia. Para afugentá-la basta esconder dentes e unhas.
·         Saci-Pererê: É um negrinho de uma perna só, ágil e atrevido. Usa gorro vermelho e adora fumar cachimbo. Aparece e desaparece numa roda-moinho. Não é maldoso, mas adora fazer traquinagens como, por exemplo: apagar o fogo, dar nó na crina dos cavalos, assustarem viajantes. Para pega-lo é muito fácil, basta colocar uma peneira com um terço em baixo de uma arvore. Para chamá-lo dê três nós num pedaço de palha.
·         Iara: É uma linda moça de longos cabelos negros que mora no fundo dos rios. Tem uma voz maravilhosa e com ela encanta os moços que navegam ou estão á margem dos rios. Quando eles ficam hipnotizados com seu canto leva-os para o fundo das águas e de lá eles não saem nunca.
·         Boitatá: É uma cobra muito grande que comeu os olhos das carniças de animais que morreram nas enchentes. Como todo animal guarda no sangue o sumo de tudo que comeu, a cobra grande guarda a luz dos olhos que ingeriu. Passou então a aparecer como um luzeiro ambulante e transparente como se fosse um fogo amarelo azulado. Ele assusta muita gente nas noites de verão e também é conhecido como “fogo fátuo”.
·         Boto: Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.
·         Curupira: Assim como o boitatá, o curupira é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.

Adivinhas:

As adivinhas tinham papel de grande importância na antiguidade. Era uma espécie de desafio ao homem para que mostrasse a sua sabedoria. É uma das formas mais curiosas e ingênuas de literatura oral.

  1. O que é que Deus nunca viu, o rei viu uma vez ou outra e o homem vê todos os dias?
  2. O que é o que é? São sete irmãos, cinco tem sobrenome e dois não?
  3. O que é que quando mais cresce mais baixo fica?
  4. O que é que cai em pé e corre deitado?
  5. O que é negra, preta de formosura, barriga cheia de gostosura?
  6. Qual é o céu que não tem estrelas?
  7. Qual é a diferença da tartaruga com o navio?
  8. Em que mês a mulher fala menos?
  9. O que é que está na ponta do fim, no começo do meio e no meio do começo?
  10. O que é que passa pela água e não molha, anda pelo sol e não se queima?












Respostas: 1. o semelhante, 2. Os dias da semana, 3. O rabo do cavalo, 4. A chuva, 5. A jabuticaba, 6. O céu da boca, 7. O navio tem o casco em baixo e a tartaruga tem o casco em cima, 8. Em fevereiro, 9. A letra m, 10. A sombra.


Quadrilhas e Poesias:

Esta noite eu tive um sonho,
Mas que sonho atrevido,
Sonhei que era babado
Da barra do teu vestido.

Andorinha no coqueiro,
Sabiá na beira-mar,
Andorinha vai e volta,
Meu amor não quer voltar.


Brincadeiras:

·         Boneca
·         Cata vento
·         Cirandinha
·         Pipa
·         Passar anel
·         Bolinha de gude
·         Amarelinha

Trava – Língua

Olha o sapo dentro do saco,
O saco com o sapo dentro,
O sapo batendo papo
E o papo soltando vento.


      Pinto pelado pulou da panela para o penico.


Um tigre, dois tigres, três tigres.


Porco crespo e toco preto
Toco preto e porco crespo.

O doce perguntou pro doce
Qual doce era mais doce
O doce respondeu pro doce
Que o doce mais doce
É o doce de batata doce.

Parlendas:

Cadê o toucinho que tava aqui?
O gato comeu.
Cadê o gato?
Comeu o rato
Cadê o rato?
Foi pro mato
Cadê o mato?
O fogo queimou
Cadê o fogo?
A água apagou
Cadê a água?
O boi bebeu
Cadê o boi?
Tá amassando trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Tá botando ovo.
Cadê o ovo?
O frade bebeu.
Cadê o frade?
Tá rezando missa.
Cadê a missa?
Tá na igreja.
Cadê a igreja?
Tá em Roma.
Por onde é que se vai à Roma?
Vai por aqui, por aqui, por aqui...




Ditados Populares:

  • Quem vê cara, não vê coração.
  • Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.
  • Deus ajuda a quem cedo madruga.
  • Cachorro que late não morde.
  • Quem tem boca vai a Roma.
  • A mentira tem perna curta.
  • O uso do cachimbo deixa a boca torta.
  • Quem tem boca não manda assoprar.
  • Casa de ferro, espeto de pau.
  • Pela carga se conhece a carruagem
  • A morte não chega de véspera.
  • Cachorro mordido de cobra tem medo de lingüiça.
  • Tamanho não é documento.
  • Cão que ladra não morde.
  • Quem tudo quer, tudo perde.
  • Na terra de cego quem tem um lho é rei.

Superstições e Simpatias:

  • Colocar a vassoura atrás da porta para que uma visita indesejável vá embora.
  • Não presta varrer a casa depois que o sol se esconde.
  • Devemos varrer a casa assim que sair um enterro
  • É bom colocar sal no fogo para espantar o mau espírito.
  • Quando cair uma colher é sinal que vai chegar uma mulher para almoçar e se cair um garfo é um homem que chegará.
  • Quando cair uma faca é sinal de briga. Para isso não acontecer deve-se riscar o chão em cruz três vezes no mesmo lugar.
  • Beber três golinhos de água faz passar o soluço.
  • Pio de coruja é mau agouro.
  • Sonhar com dente é sinal de morte.

Frases de pára-choque de caminhão:

·         Viajo só porque quero.
·         Do destino ninguém foge.
·         Não há vitória sem luta.
·         Do mundo nada se leva.
·         Não tenha inveja, trabalha.
·         Marido de mulher feia detesta feriado.
·         Deus é a luz do meu caminho.
·         Com Deus eu vou e com Deus voltarei.
·         Os brutos também amam.
·         Amar foi minha ruína.
·         Chegou o bonitão.
·         Turista forçado.
·         Não sou dentista, mas ando na pista.





Músicas:

Atirei o Pau no Gato

Atirei o pau no gato to
Mas o gato to não morreu réu réu
Dona Chica ca adimirou-se se
Do berro, do berro que o gato deu.
Miauuu.

A Canoa Virou

A canoa virou
A canoa virou,
Por deixá-la virar,
Foi por causa do (a) (nome do aluno)
Que não soube remar.
Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar,
Tirava o (a) (nome do aluno)
Do fundo do mar

O Cravo e a rosa,

O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada;
O cravo saiu ferido
E a rosa despedaçada.
O cravo ficou doente,
A rosa foi visitar;
O cravo teve um desmaio,
A rosa pôs-se a chorar
Medicina popular:

O CHÁ MEDICINAL: (servir chás durante a aula)

Remédios populares:

  • Banha de jibóia: muito utilizada para combater o reumatismo. *Banha de capivara: para coceira nos peitos.
  • Banha de canela de Ema para surdez.
  • Banha de galinha: Para cicatrizar pequenas feridas e tumores.
  • Banha de jacu (espécie de ave): tratamento da asma.
  • Banha de porco: para desinflamar o nariz e, derretida na pinga, cura embriaguez.
  • Banha de traíra (espécie de peixe) cura dor de ouvido.

Existem ainda outros tipos de remédios que são oriundos de animais:

  • Cordão Umbilical: em alguns locais ele é guardado e usado para remédio. Como chá é usado contra epilepsia.
  • Leite Materno: colírio.
Culinária:

Bolo de Aipim com Coco

Ingredientes:

1 coco ralado; 4 raízes de aipim cruas e raladas; 2 colheres, das de sopa, bem cheias de manteiga; 1 pires de açúcar; Erva-doce a gosto. 4 ovos inteiros.

Modo de Preparo:

Misturem-se bem todos os ingredientes. Feito isto, põe-se tudo numa fôrma bem untada de manteiga. Asse em forno bem quente.

Cuscuz de Tapioca com coco

Ingredientes:

1 pacote de tapioca, 1 coco grande ralado; 3 ½ copos de leite; 2 xícaras de açúcar; 1 pitada de sal.

Modo de Preparo:

Ponha em uma tigela o coco, a tapioca e o sal peneirados com o açúcar. Junte o leite fervente, mexa muito bem e despeje em uma fôrma de canudo no centro, previamente molhada com água gelada. Alise bem a superfície do cuscuz com uma colher. Tampe e envolva a forma com uma toalha. Deixe assim permanecer por 3 horas. Desenforne em um prato e sirva ao natural ou gelado.

Atividades Sugeridas:

    1. Para pesquisar em casa:

    1. Sugerir a montagem de um álbum (livro) com os seguintes itens:

·         Lendas
·         Mitos
·         Nomes populares
·         Superstições
·         Brincadeiras
·         Músicas
·         Danças
·         Parlendas
·         Advinhas
·         Provérbios
·         Artesanatos
·         Frases de pára-choque de caminhão
·         Receitas típicas
·         Remédio caseiro
·         Festas

    1. Trabalhando com o texto: lendas e mitos.
    2. Oficinas de artesanato, dobraduras e sucatas.
    3. Dia de brincadeira: cada grupo ficará responsável por um tipo de brincadeira, por exemplo: cobra cega, boca de forno, chicotinho queimado, amarelinha, passar anel, estátua etc. Todos os alunos participarão.
    4. Dramatização das lendas.
    5. Confecção de fantoches de personagens de lendas.
    6. Confecção de mascaras de mitos.
    7. Trabalho com argila.
    8. Gincana de adivinhas e provérbios.
    9. Musicas: Formar rodas e cantar e dançar as músicas pesquisadas.
    10. Fazer exposição de trabalhos e festa com comidas típicas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário